Mãe solteira doida pra arrumar um pai pro filho.

Para nós que usamos transporte público, a cada dia é um assunto diferente que escutamos. A conversa do cobrador e do motorista de ontem começou assim:

– Motorista: Ela só quer saber de namorar. E olha que tem filho.

– Cobrador: Deve “tá” doidinha pra arrumar um pai “pro” filho.

Geeeente, pelo amor de Deus, que nojo desse tipo de comentário do cobrador. QUE NOJO! Chega a me dar ânsia de pensamentos desse tipo, pego ar só de pensar. Desde quando, hoje em dia, mulher depende de homem pra criar filho? Só se for muito lerda. Tanto o homem quanto a mulher podem muito bem criar o filho bem sem que tenha os dois juntos. Conheço pais solteiros que cuidam melhor do que as mães e vice-versa. Pensamento patético esse de que a criança precisa da presença de um homem. Hoje em dia, a mulher consegue muito bem ser independente e cuidar com maestria do filho. Não é porque a garota namora demais que ela quer “arrumar um pai pro filho”, sem generalizar, por favor, minha gente. Se for por causa de dinheiro, pensão existe pra isso, e se o pai não paga, existe a justiça que, aliás, é quando ela mais funciona no Brasil. E mais: tem muita mulher que se vira pra conseguir criar um filho, à maneira dela, mas se vira.

E não é necessariamente porque os pais estão juntos que o filho vai ser criado melhor. Precisamos desapegar dos padrões de comportamento que a sociedade criou e que só definham nossa vida. Percebo que as pessoas que mais sofrem são as que mais se preocupam com o que os outros vão pensar. Afinal, não é fácil agradar a todos: ou você se agrada ou agrada à sociedade. Optei por me agradar.

GQBL

Published in: on 11/09/2015 at 11:08  Deixe um comentário