Meu idioma? BRASILEIRO

No final de 2011 realizei pesquisas para um artigo científico. O tema que escolhi foi As Influências das Línguas Africanas no Idioma Brasileiro. Sim, idioma brasileiro.

Depois de terminado o trabalho, concluí que aqui não falamos o português. Penso que já podemos mudar nossa lingual materna, e pra minha felicidade não sou a única a pensar isso.

Muitas pessoas criticam nossa cultura dizendo que ela não tem uma raiz própria, até eu pensava isso há algum tempo. Porém, penso que a nossa cultura é realmente a mistura das várias que participaram na formação do nosso país ainda colônia: africana, europeia, indígena. Hoje, se percebermos os detalhes dos nossos costumes, são misturas que eu, particularmente, considero costumes brasileiros: a mistura de várias culturas.

Antes eu não dava valor e não tinha nenhum sentimento de orgulho pelo meu país. Como mudei minha forma de pensar, sinto satisfação em dizer que faço parte dessa terra maravilhosa, com seu clima tropical ímpar, suas terras férteis, desse cenário natural extraordinário e abençoado por Deus, dos dialetos lindos que herdamos de outras culturas admiráveis.

Às vezes penso que a minha dificuldade em reconhecer a riqueza do nosso país foi num momento de despeito, afinal ainda não se falava em assumirmos o nosso idioma; agora sinto uma independência cultural por não ficar mais na aba de Portugal. Não tenho nada contra, mas é muito melhor vivermos com o que construímos ao longo do tempo.

Eu tenho orgulho sim de falar que sou brasileira e com toda convicção defendo a ideia de que já passou da hora de nosso idioma se chamar BRASILEIRO.

Dica de post: http://www.netoferreira.com.br/politica/2012/03/lingua-portuguesa/

Anúncios

Pela Vida

Imagem

Em vários momentos da nossa vida falamos que jamais nos acostumaríamos com determinadas situações. Não sei se ainda continuo concordando com esse tipo de declaração por conta de algumas coisas que vêm acontecendo comigo.

No lado profissional, por exemplo, é onde tenho mais histórias para contar (risos). Já mudei bastante de emprego, confesso, depois que comecei na atual profissião. E é impressionante como a cada mudança as sensações são as mesmas: medo, dúvida, alegria, ansiedade, gelinho na barriga, dor de cabeça e a grande vontade de sair correndo e voltar para onde trabalhava. Afinal, o ser humano tende a se acomodar de uma certa forma a tudo que dê segurança. Segurança no sentido de conhecimento da situação, do ambiente, das pessoas. Parece até que vira uma família, pois passamos bastante tempo com as pessoas do trabalho.

Ao mesmo tempo que todas essas sensações me incomodam no sentido de enfrentar o novo, sinto um fortalecimento e fico de braços abertos para agarrar esse mesmo novo como uma nova experiência. Acho que é importante a gente não se acomodar na mesmice, a troca muitas vezes faz bem até para nosso ego. Claro que as amizades fazem uma grande falta, mas se for amizade mesmo, permanecem em nossas vidas e vão torcer sempre pelo nosso melhor e vice-versa.

Mas confesso: QUANTA SAUDADE!

Published in: on 02/04/2012 at 16:33  Deixe um comentário