O que fazer pelo meio ambiente?

Nesses últimos tempos de calor tem-se falado muito no problema do ar seco, da poluição e o quanto isso pode prejudicar nossa saúde.

Nunca fui de me preocupar tanto com o meio ambiete, não vou ser hipócrita e falar que sou superdefensora das causas ambientais, mas procuro fazer minha parte à medida do possível. Tenho minha opinião formada em relação a isso. Fico pensando no que podemos fazer para “tentarmos” salvar o meio ambiente, percebo que falta disciplina da população, pois se cada um fizesse a sua parte, o mundo não estaria assim. Acredito que muitas pessoas tentam, mas faltam também recursos que não dependem da população, e sim dos que estão no comando: politicos, por exemplo.

Se cada um fizesse o que o cargo determina, o meio ambiente estaria bem melhor. Atitudes simples que modificam a qualidade de vida. É muita gente pra eles cuidarem? Sim. São muitos bairros? Com certeza. Mas onde estão os vereadores pra cuidarem cada um do seu bairro de responsabilidade.

São lixos espalhados pelas esquinas, é um absurdo a quantidade que vejo pelas ruas da periferia. Algo daria pra fazer pra que isso não acontecesse, alguma ação que motivasse os moradores a não deixarem os lixo em qualquer lugar. Campanhas de coleta seletiva deviam ser feitas em toda a parte do planeta, não somente para as classes financeiras mais elevadas, como é de costume.

Os rios, meu Deus, todos mortos, cheios de lixo, um cheiro que até eu que tenho problema no olfato sinto. Até faz mal inalar esse cheiro horrível. E os rios não são só de periferia, não. São rios principais da cidade, como Tietê e Pinheiros. Rios que fazem parte da história da cidade.

Além disso, quantos carros nas ruas. Infelizmente, com essa vida moderna que levamos, quem tem carro não consegue deixá-lo em casa e enfrentar ônibus lotado, realmente é horrível. Assim, com tanto veículo nas ruas, o ar fica completamente poluído.

Eu fumo, mas tenho consciência do mal que a fumaça do cigarro faz para o meio ambiente. Ando tão sensibilizada com essa realidade que vivemos atualmente, que tenho tido receio de fumar, cheguei a diminuir a quantidade de cigarro por dia, quem sabe até parar.

São tantas coisas que poderíamos fazer pra tentar melhor nossa qualidade de vida. Sinceramente, estou preocupada com o futuro do nosso meio ambiente.

Anúncios
Published in: on 27/08/2010 at 17:00  Deixe um comentário  

Parar de sofrer, pelo amor de Deus.

Hoje, li uma materia sobre fim de relacionamento. Apesar de o assunto ser chato para algumas pessoas, resolvi postar minha opinião em relação a isso pelo que tenho visto no dia a dia.

Quando estamos nos relacionando com alguém e chega ao fim, achamos que a vida não tem mais sentido, talvez pelo fato de querermos tudo para sempre. Mas nada é eterno. Tenho percebido que muitas pessoas quando estão se relacionando criam um mundo somente entre o casal. Não pode sair, não pode estar com os amigos, se é casado então piora, pois agora a vida resume-se entre casa, filhos e marido/esposa, e por aí vai. As pessoas esquecem que o outro tinha uma vida antes de se conhecerem.

Quando há alguém muito inseguro num relacionamento, desgasta, pois a pessoa sofre pela própria insegurança, o outro sofre também por essa insegurança que o pressiona e ninguém fica feliz.

É muito mais gostoso e saudável quando há liberdade. A liberdade que falo é: manter as amizades, ter espaço para estar com pessoas que conheceu antes do relacionamento, não deixar sua essência de lado, etc. Afinal, somos seres individuais: nascemos, vivemos e morreremos sozinhos, somos unicamente responsáveis pela nossa vida e atitudes, não podemos passar essa tarefa para ninguém. O que é importante ter entre o casal é o respeito, isso sim mantém o relacionamento saudável. Se um não quer mais a situação, chega e termina, melhor assim a manter o namoro/casamento e sair com outras pessoas.

E se acontecer de acabar “o conto de fadas”, entender que o tempo já deu e que muitas coisas virão, cada um precisa seguir seu caminho. Pararmos de dar murro em ponta de faca diminui o sofrimento, pois não adianta estar namorando/casado(a) e a relação estar péssima só para mostrar aos outros que temos alguém, pura imaturidade.

Já chorei com fim de relacionamento, também não sou de ferro, achei que a vida não tinha mais sentido, quis abrir um buraco no chão, mas de tanto dar cabeçada e ficar perdendo tempo chorando por causa de “uma” pessoa, aprendi que a vida continua, que há milhares de homens no mundo que ainda farão parte da minha vida e que de cada um que passou eu pude absorver algo como aprendizado. Até de coisas ruins podemos aprender algo. É assim que tenho vivido, muito feliz, obrigada. E espero que com o tempo a humanidade não sofra tanto com esses relacionamentos doentes.

Published in: on 19/08/2010 at 15:33  Comments (17)